• Mais uma vez, o governo Pimentel quer que a educação pague a conta!

    Sind-UTE/MG mobiliza categoria contra os problemas na rede estadual

  • Assembleia Estadual com indicativo de GREVE!

    Sind-UTE/MG convoca Assembleia Estadual de trabalhadores em educação, em BH, com indicativo de greve

  • A Casa dos Movimentos Sociais

    Projeto do Sind-UTE/MG Caxambu fomenta o desenvolvimento dos movimentos sociais na região

  • Venha conhecer o Sind-UTE/MG em Caxambu

    O Sind-UTE/MG convida toda a categoria a conhecer seu novo espaço

  • Formação: A história dos trabalhadores em educação

    Conheça mais a história do movimento sindical docente mineiro e da UTE-MG

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Encontro Estadual de Especialistas da Educação Básica (EEB) - chamada para participantes

No próximo dia 02 de março o Sind-UTE/MG realizará o Encontro Estadual de Especialistas da Educação Básica (EEB). A atividade faz parte do calendário de mobilização da categoria na campanha salarial educacional 2018 e vai debater as questões específicas das Especialistas com o objetivo de investir na organização do setor e reivindicações que são específicas. 

O Encontro acontecerá em Belo Horizonte no horário de 9 as 18 horas e o sindicato solicitará a liberação junto à Secretaria de Estado da Educação para quem participar.

Os critérios de participação é ser filiado/a ou se filiar ao Sind/UTE/MG. Aos interessados em participar, por favor, entrem em contato conosco até o dia 22 de fevereiro pelo e-mail sindutecaxambu@hotmail.com.


sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Sind-UTE/MG cobra IPSEMG de qualidade

No último dia 08, a direção estadual do Sind-UTE/MG, por meio dos diretores estaduais, Abdon Guimarães e Beatriz Cerqueira, coordenadora-geral, estiveram reunidos com o presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais - IPSEMG, Hugo Vocurca Teixeira, e o diretor do Instituto, Cristiano da Mata Machado. Também participou da reunião o deputado estadual, Rogério Correia, que é do Conselho Deliberativo do Instituto. A reunião foi incialmente solicitada em função dos problemas de suspensão de atendimento do Hospital em Varginha. No entanto, ao realizar o Conselho Geral do Sindicato, no dia 03/02, foram levantados novamente problemas estruturais que atingem servidores em todo o estado e que estas questões seriam encaminhadas para a reunião.

Sobre o atendimento em Varginha

O presidente do Ipsemg informou que as negociações para o retorno do atendimento em Varginha estão sendo concluídas. O Sind-UTE/MG questionou a recusa de atendimento, que atinge, neste momento, várias regiões do Estado assim como a suspensão do cartão farmácia. O Presidente do Instituto reconheceu os problemas e informou que o Governo do Estado deve ao Instituto cerca de R$ 200 milhões e que iniciará o pagamento da dívida acumulada. Em fevereiro, serão quitadas as dívidas dos meses de outubro e novembro. No mês de março, serão quitadas as dívidas dos meses de dezembro e janeiro e no mês de abril a situação estará normalizada.

As demandas que as regiões encaminharam ao Sindicato foram apresentadas para o presidente do Ipsemg, que se comprometeu em avaliar e retornar. O sindicato também questionou o desconto no 13º salário, prática ilegal que a entidade tenta reverter judicialmente. Também questionou a situação do/a servidor/a designado/a, que só terá contrato a partir de 15/02. Neste caso, os representantes do Instituto informaram que não haverá interrupção do atendimento.

Relatamos as regiões em que os médicos, clínicas e hospitais que estão suspendendo o atendimento por falta de pagamento, a falta de especialistas e clínicas provocando longos deslocamentos dos/as servidores/as entre cidades; a necessidade do credenciamento urgente de pronto-atendimento em Uberlândia (urgente, foi tirado como prioridade no primeiro Fórum do Ipsemg e até agora sem resposta); o aumento de cotas, já que o atual é insuficiente para consultas e exames, a construção do Hospital Regional do Ipsemg em Uberlândia (aprovado no primeiro Fórum); acesso e transparência nos contratos de clínicas, laboratórios e hospital; reativação do contrato do atendimento do Hospital Santa Catarina, ainda paralisado; o Hospital São Paulo não quer atender e desde setembro de 2017 não há pagamento para os dentistas. A situação é de fato muito grave!

No dia 21/02 será realizada, a pedido do Sind-UTE/MG, audiência pública para debater a situação do Ipsemg. Em 2017, o Sindicato realizou um seminário para debater a situação do atendimento do em cada região. 

Acompanhe aqui algumas ações do Sindicato na defesa do Ipsemg:

Sind-UTE/MG se reúne com presidente do IPSEMG para apresentar demandas e problemas

Sind-UTE/MG denuncia descaso de atendimento no IPSEMG

Sind-UTE/MG denuncia problemas no atendimento do IPSEMG

Sind-UTE/MG realiza ato na Cidade Administrativa por Ipsemg de qualidade

Sind-UTE/MG questiona desconto do IPSEMG no 13° salário

Fonte Sind-UTE/MG

Resultado de imagem para IPSEMG

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Sind-UTE/MG subsede Caxambu sem atendimento presencial

Devido a saída da funcionária, o Sind-UTE/MG subsede Caxambu está sem atendimento presencial nas próximas semanas. Até a contratação de uma nova funcionária, pedimos que aqueles que nos procuram entrem em contato pelo e-mail sindutecaxambu@hotmail.com. Lembramos também que o atendimento jurídico continua ocorrendo sempre na última quarta-feira do mês. Para agendamento, enviem pedido também por e-mail.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Sind-UTE/MG convoca Assembleia Estadual de trabalhadores em educação, em BH, com indicativo de greve

A subsede Caxambu terá caravana de nossa região. Interessados, enviem e-mail com nome, RG, telefone e cidade para sindutecaxambu@hotmail.com.


Contra a Reforma da Previdência, Sind-UTE/MG convoca os trabalhadores em educação de Minas Gerais a paralisarem suas atividades em 19/02, dia da votação no Congresso


quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Assembleia Geral de trabalhadores em educação da rede municipal de Caxambu


segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Sind-UTE/MG realiza o seu primeiro Conselho Geral de 2018 e aprova intenso calendário de lutas

Dia 28 de fevereiro haverá assembleia estadual com indicativo de greve

Um sábado inteiro de discussão e aprovação de um intenso calendário de lutas que serão travadas neste semestre. O primeiro Conselho Geral do Sind-UTE/MG do ano foi realizado em Belo Horizonte, no último dia 3 de fevereiro de 2018, contou com a presença da direção estadual, diretores/as das Subsedes de todo o Estado, servidores/as das Superintendências Regionais de Ensino e do Órgão Central, Redes Municipais e Conselheiros e Conselheiras que integram o Conselho da entidade.

O Conselho foi convocado em função da urgência de organização das lutas contra a Reforma da Previdência e para articular a luta estadual diante do descumprimento pelo governo do Estado do Acordo sobre o Piso Salarial, adiamento do ano escolar, suspensão das nomeações de concurso, parcelamento do pagamento do 13º salário, entre outras demandas estaduais. 

Luta contra a Reforma da Previdência

“Essa Reforma da Previdência acaba com os direitos da classe trabalhadora e é ruim para todos que serão atingidos por ela”, afirmou o assessor do Dieese na Subseção da CUT/MG, Frederico Melo, ao fazer uma abordagem detalhada do assunto, com foco na Emenda Aglutinativa proposta e negociada por Michel Temer junto a deputados e deputadas no Congresso Nacional. 

Segundo Frederico Melo, o governo trabalha sem transparência e sem dar muita evidência à emenda proposta, que é ainda pior que a reforma anterior. “O governo não tem interesse de esclarecer à população sobre o assunto, mas, a verdade é que a reforma prevista é tensa, dura e vai impedir que as pessoas aposentem no país com 100% do que contribuíram ao longo de sua vida laboral”, ressaltou.


A Reforma da Previdência ataca de uma só vez os dois regimes: o Próprio e o Geral (INSS). Em síntese, segundo Frederico, a Reforma da Previdência endurece as regras, diminui o valor do benefício e dificulta muito o acesso à aposentadoria para a classe trabalhadora. “Com essa Emenda Aglutinativa, assalariados e trabalhadores da Agricultura Familiar não vão conseguir se aposentar”, concluiu Frederico Melo.

Que privilégio é esse?

O governo usa o discurso de que a Reforma vai atacar os privilegiados e diz que eles estão no serviço público. Mas, o técnico do Dieese contrapõe esse argumento, lembrando que essa é uma fala que não condiz com a realidade, porque a Reforma da Previdência ataca a todos, indistintamente, e de maneira mais incisiva, os menos favorecidos, ou seja, professoras da educação básica, mulheres, os trabalhadores e trabalhadoras rurais. “Como falar em privilégios? Essas pessoas que estão sendo atingidas estão na base da pirâmide. São as que ganham menos. Os mais ricos, os grandes empresários, aqueles que recebem isenção tributária, não serão atingidos.”

Outra falácia é o déficit previdenciário

O governo trabalha com informações distorcidas, para forjar um déficit previdenciário que não existe. Com isso, favorece dois segmentos que irão lucrar muito se essa Reforma passar: grandes empresários e instituições financeiras. Uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Senado já concluiu que não há déficit na Previdência! 

Governo Pimentel deve à educação!

O segundo momento do Conselho Geral debateu a conjuntura estadual. A direção estadual fez um balanço das últimas ações do sindicato para denunciar e reverter o que o governo do estado tem feito na educação da rede estadual: dois reajustes do Piso Salarial descumpridos, acordo com os servidores das Superintendências Regionais de Ensino descumprido, parcelamento do pagamento do 13º salário, adiamento do ano escolar, sucateamento do IPSEMG, entre outras demandas. Após avaliações de todas as regiões do Estado, o Conselho Geral votou pela realização de assembleia estadual ainda em fevereiro. Será no dia 28 e com indicativo de greve. O indicativo de greve foi decidido considerando todas as questões que a educação está sofrendo e a completa ausência de negociação para reverter o quadro. Desde o final do ano passado, o governo vem estabelece do tratamento diferenciado no funcionalismo. Mesmo a educação tendo recursos próprios, o Governo Fernando Pimentel optou por não pagar o 133º salário à categoria em dezembro. Na sequência fomos surpreendidos pelo adiamento do ano escolar para economizar no salário dos contratados, nas verbas de transporte e alimentação escolar! Pelo segundo ano consecutivo, o governo está descumprindo o Acordo do Piso salarial, mesmo tendo recursos da educação para o pagamento dos reajustes! A última escala de pagamento aprofundou o tratamento diferenciado: a maioria da categoria receberá salário apenas após o carnaval. enquanto os/as servidores/as da Segurança Pública receberão uma primeira parcela no dia 09/02. Além disso, por ser ano eleitoral, a campanha salarial-educacional precisa ser antecipada. 


ACOMPANHE OS ENCAMINHAMENTOS APROVADOS PELO CONSELHO GERAL

Calendário de lutas:

  • 15 e 16/02: Debater a organização da luta em todas as escolas estaduais durante os dias escolares.
  • 19/02: Paralisação da rede estadual contra a aprovação da Reforma da Previdência e de advertência para o Governo do Estado. Organizar atos em todas as regiões do Estado em articulação com movimento social e sindical contra a Reforma da Previdência. 
  • 21/02: Reunião específica com representantes das Superintendências Regionais de Ensino e do Órgão Central.
  • 24 e 25/02: Formação de formadores para articulação do Congresso do Povo em Minas Gerais.
  • Até 27/02: Realização de assembleias locais/ por Subsedes em preparação à Assembleia Estadual.
  • 28/02: Assembleia Estadual com paralisação e indicativo de greve.
  • 02/03: Encontro Estadual de Especialistas da Educação.
  • 03/03: Conferência Livre da Educação em preparação à Conferência Nacional Popular da Educação.
  • 08/03: Dia de Luta das Mulheres.
  • 31/05 a 03/06: Congresso Estadual do Sind-UTE MG.



Outros encaminhamentos de luta: 

1. Organizar material de denúncia e de esclarecimento sobre a situação que estamos enfrentando na Rede Estadual.

2. Procurar os diretórios do PT e parlamentares, movimentos sociais, sindicais e outros partidos políticos para apoiarem a luta da rede estadual.

3. Continuar a articulação de estratégia de enfrentamento à Escola da Mordaça.

4. Cobrar a realização de Audiência Pública sobre a situação do IPSEMG.

5. Aprovação de moção de repúdio ao sucateamento do IPSEMG.

6. Aprovação de moção de repúdio contra a Secretaria de Estado da Educação pelos problemas que a categoria enfrentou com p diário eletrônico, adiamento do ano escolar e designações on-line. 

7. Dar encaminhamento às propostas do Seminário com diretores de escola que o Sind-UTE/MG realizou em 2017.

8. Encaminhar as demandas do IPSEMG em reunião com o Presidente do Instituto que acontecerá no dia 08/02 com o Sind-UTE MG.

9. Participar do Congresso do Povo organizado pela Frente Brasil Popular.

10. Fazer o protocolo da pauta de Reivindicações atualizada. 

11. Solicitar a retificação do edital do Concurso para que seja contemplada a cota racial. 

Comunicação do Sind-UTE/MG


O coordenador do Departamento de Comunicação, Paulo Henrique Santos Fonseca, fez uma breve apresentação do trabalho desenvolvido por esse departamento ressaltando não só as publicações impressas, a exemplo do Informa, que a categoria recebe com regularidade, mas, também o site do Sindicato, que atualmente é visto em cerca de 160 países e tem uma média 100 mil acessos por mês. Em breve, o Sindicato vai entregar à categoria um novo portal, que está em fase final de produção, e será bem mais ampliado. 

Outros canais de interlocução e diálogo com a categoria apresentados: dois canais de TV no Youtube, que juntos somam mais de 600 vídeos publicados; facebook, o programa Outras Palavras, que está no ar há cerca de quatro anos e acaba de veicular o seu 200º programa ininterrupto e o “pool” de emissoras de rádio, que hoje retransmitem o Programa Roda de Conversa, que o Sindicato colocou no ar há cerca de um ano e já está presente em dez emissoras em todo o Estado. Juntas essas rádios atingem um universo de aproximadamente 150 cidades e mais de meio de milhão de ouvintes.

Homenagem

De pé, um momento de silêncio para guardar na memória e no coração, a memória do professor Fausto Fábio de Araújo, que foi diretor de E.E. Governador Juscelino, na cidade de Capinópolis e faleceu quando voltava da luta em Belo Horizonte para sua cidade no dia 27 de dezembro de 2017, vítima de um infarto fulminante.


Ao amigo e companheiro de tantos momentos importantes e de militância em defesa da classe trabalhadora, Fausto Fábio - que por tantas vezes ganhou a estrada e dessa última não voltou mais pra o seio da sua família - educadores e educadoras reafirmaram uma vida inteira de luta.

O Conselho Geral também prestou uma homenagem “in memória” do professor da UFMG, Antônio Leite Alves Radicchi, pai do militante Rômulo Radicchi. Em forma de oração, os presentes se solidarizaram aos seus colegas, amigos e familiares.











Fotos: Alessandro de Carvalho/ Sind-UTE/MG - 2018

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Sind-UTE/MG Caxambu realizará minicurso preparatório para o concurso da rede estadual de Educação

ATENÇÃO! INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O MINICURSO DO SIND-UTE/MG CAXAMBU
PARA FILIADOS AO NOSSO SINDICATO

O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) subsede Caxambu realizará no mês de março um minicurso preparatório para o concurso da rede estadual, edital 07/2017. O curso será destinado aos trabalhadores em educação filiados ao Sind-UTE/MG e será totalmente gratuito, com aulas de português e matemática em quatro semanas, com uma semana de pedagogia/didática.

Serão abertas duas turmas com 15 vagas cada, totalizando 30. As inscrições serão abertas dia 06 de fevereiro por formulário online próprio – divulgado no blog e na nossa página oficial no Facebook – e os primeiros 30 inscritos que preencherem o requisito (ser filiado ao Sind-UTE/MG comprovado no contracheque) ocuparão as vagas. A previsão de inicio das aulas é dia 6/03.

Clique aqui para inscrição em formulário online a partir do dia 06 de fevereiro.

1º minicurso do Sind-UTE/MG Caxambu, realizado em 2015

Nova escala de pagamento do Estado é um desrespeito à Educação

A escala de pagamento do mês de fevereiro anunciada pelo Governo do Estado nesta quinta-feira (01/02/18) manteve a mesma lógica do pagamento do 13º salário: o tratamento diferenciado entre categorias. Enquanto a maioria do funcionalismo, incluindo, a educação, receberá em quatro parcelas, e não em três como tem sido e a Segurança Pública receberá em duas.

O Governo do Estado continua agindo sem transparência sobre a execução do Orçamento da educação. Há recurso, conforme já demonstrado por estudos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), para que o Estado honre seus compromissos, não faça essa escala de pagamento, mas, o Governo continua pegando o dinheiro da educação para pagar outras áreas. 

O Sind-UTE/MG realizará uma reunião do Conselho Geral da entidade neste sábado (03/02/18), para definir o calendário de mobilizações.

Clique abaixo e veja Inform@ 163:




quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

ATENÇÃO: Cronograma de designação presencial da SRE Caxambu

O cronograma regional de designação presencial para professores regentes de aulas das escolas estaduais para o ano letivo de 2018 foi encaminhado pela Superintendência Regional de Ensino de Caxambu nessa quarta-feira. Os itens em vermelho ainda aguardam confirmação pela Secretaria de Estado da Educação (SEE/MG)



    Copyright - Sind-UTE/MG Caxambu

    Rua Dr. Enout nº 193 - Centro/Caxambu. Telefone: (35) 3341-3799 / Email: sindutecaxambu@hotmail.com